Secretária Nacional de Segurança, Regina Miki, afirmou que o magistrado vai ter que pagar o prejuízo da viatura
Secretária Nacional de Segurança, Regina Miki, afirmou que o magistrado vai ter que pagar o prejuízo da viatura

Mais uma vez o juiz aposentado compulsoriamente, José Carlos Remígio, voltou a ser notícia na mídia alagoana. Desta vez, ele bateu em um carro da Força Nacional (FN). O acidente registrado por internautas e postado nas redes sociais, o flagrou embriagado e discutindo com os policiais.

No vídeo registrado por internautas, o magistrado discuti com policiais militas e agentes da Força Nacional, após colidir na traseira da viatura. O sinistro aconteceu nesta madrugada de sexta-feira (26), na orla da capital.

Segundo informações extraoficiais, os agentes da FN tentaram conduzir Carlos Remígio para a Central de Polícia, porém, uma interferência demoveu a condução. Uma autoridade do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ/AL), com influência junto a Defesa Social do Estado, fez com que ele fosse liberado e ainda voltasse para casa em seu próprio carro e guiando.

Vai pagar pelo prejuízo

Durante coletiva de imprensa que ocorreu na tarde desta sexta-feira (26), na capital alagoana, a secretária Nacional de Segurança Pública, Regina Miki, afirmou que o juiz aposentado compulsoriamente, José Carlos Remígio, vai ter que pagar por todo o prejuízo.

Transparência?

Ainda na coletiva, o secretário de Defesa Social de Alagoas, também falou sobre o incidente envolvendo o magistrado. “O caso vai ser tratado com transparência, essa é a politica adotada pela nossa gestão. Não existe distinção, todos são tratados por igual perante a Justiça”, disse Dário César.

Histórico do magistrado

No dia 18 de junho de 2009, o magistrado após sair de um bar na Avenida Amélia Rosa, região de bares de Maceió, colidiu com um motoqueiro. José Carlos Remígio voltou para o bar e esperou os policiais chegarem para atender a ocorrência. O magistrado deu à famosa ‘carteirada’ e os militares foram embora. Ambos os envolvidos tiveram medo de levar a confusão adiante.

Ainda no mesmo ano, no dia 25 de dezembro, José Carlos Remígio, foi preso após espancar a sua então namorada, Cláudia Granjeiro de Souza, dentro do seu automóvel. O incidente aconteceu no bairro de Jacarecica, Litoral Norte da capital. Na ocasião, ele apresentava sinais de embriaguez e ainda desacatou os militares. Remígio ficou detido por 15 dias no Quartel do Corpo de Bombeiros.

Remígio ganha um presente

Após se envolver em várias confusões, o magistrado ganha como punição, a aposentadoria compulsória, isso em 2010, seguindo determinação do Tribunal de Justiça de Alagoas. Ele ainda tentou recorrer da decisão, mas teve o pedido negado pelo Conselho Nacional de Justiça.
Um internauta filmou tudo e o vídeo pode ser visto abaixo:

Fotos:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.