Os promotores americanos que conseguiram a condenação de José Maria Marin e Juan Angel Napout no “Caso Fifa” voltaram à carga contra o único cartola que foi absolvido no julgamento, o peruano Manuel Burga. Os promotores que atuam no caso tornaram público nesta semana um documento no qual detalham sua intenção de processar Burga por outros quatro crimes.

No julgamento que terminou nos últimos dias de 2017, Burga foi absolvido pelo júri popular do Tribunal Federal do Brooklyn do único crime do qual era acusado – “racketeering conspiracy”, que numa tradução livre significaria “conspiração para extorquir” – ou, numa maneira simplificada, fazer parte de uma organização criminosa.

– O governo dos EUA não vai desistir de processá-lo por outros quatro crimes, a saber: fraude e lavagem de dinheiro relacionadas à Copa Libertadores, fraude e lavagem de dinheiro relacionadas à Copa América – diz trecho do documento revelado nesta semana.

Essas quatro acusações foram apresentadas contra Marin e Napout no julgamento que durou quase dois meses no fim do ano passado. O ex-presidente da CBF e o ex-presidente da Conmebol foram condenados e estão aguardando a publicação das sentenças num presídio em Brooklyn. Marin conhecerá sua pena no dia 4 de abril. Napout, cinco dias depois.

Burga teve destino diferente. Depois de absolvido, o cartola peruano recuperou seu passaporte e voltou a seu país. Ao desembarcar em Lima, afirmou que pretendia retomar a carreira de advogado “para ajudar quem precisa” e que se desligaria de qualquer atividade relacionada a futebol.

Fonte: Globoesporte.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.