noticia_21418A prisão de um grupo de pistoleiros responsáveis por uma morte no município de Quebrangulo evitou a execução de pelos menos outros três assassinatos. Os pistoleiros Sonival Apolinário de Lira Filho, 27 anos, e Carlos Eduardo Queiroz Silva, 29, o Dudu, apontados como autores materiais da morte da dona de casa Maria das Graças Ferrreira da Silva Alves, acontecida no dia 14 deste mês, se preparavam para matar o pai e uma filha dela de 14 anos, quando foram presos na cidade de Arapiraca, no sábado último (23).

De acordo com as investigações realizadas pelo delegado distrital de Quebrangulo, Itamar Uchôa Garcia, a morte de Maria Alves foi encomendada pela família do ex-marido da vítima, de nome Salatiel que cometera suicídio meses antes.

Segundo o delegado, tudo começou há 1 ano quando o casal se separou e iniciaram a disputa pela divisão de bens. As brigas se arrastaram por meses e há 90 dias, Salatiel se matou , tocando fogo no corpo.

A família dele culpou Maria Alves pelo suicídio e se apossou dos bens do casal. Ao mesmo tempo, teriam iniciado os planos para executar a mulher. Na noite do dia 14 deste mês, a vítima foi até a casa da avó, localizada na Rua 15 de Novembro, no Centro de Quebrangulo, quando foi morta com um tiro na nuca, no momento em que estava sentada na sala da residência, assistindo novela.

As investigações apontaram que um Golf, branco, usado pelos pistoleiros era dirigido por um rapaz conhecido por Alex que, durante depoimento, confessou sua participação no crime. Além do Golf, também foi usado um Fiat Uno, branco, que dava cobertura aos pistoleiros.

Com base nos indícios levantados pela Polícia Civil, o juiz Ferdinando Neto decretou as prisões temporárias de todos os envolvidos na trama criminosa. Além de Alexandro Araújo Barros – o “Alex Dinga”, foram presos o sogro da vítima, Manoel Alves da Silva, 73 anos, a cunhada Sirlene Alves Nunes Ferreira, 34 – apontados como mandantes; e os pistoleiros Sonival e Eduardo (autores materiais).

Nesta terça-feira (26), um homem identificado como Jojefferson Mandu da Silva, 26 anos, o “Jefinho” – responsável pela intermediação da trama e contratação dos executores do assassinato – foi preso na cidade de Arapiraca.

O delegado Itamar Uchôa relata que, no transcorrer das investigações, recebeu telefonema do coordenador do Gecoc (Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas), do Ministério Público Estadual de Alagoas, Alfredo Gaspar de Mendonça, informando que o grupo de pistoleiros retornaria, no sábado a Quebrangulo, para matar o pai de Maria Alves e uma filha dela, de 14 anos, com a intenção de se apoderar em definitivo de todos os bens que tinham pertencido ao casal.

No mesmo dia, o grupo cometeria ainda outra empreitada: um assassinato na cidade de Girau do Ponciano. Sonival, que confessou ter sido o autor do disparo na nuca da vítima, foi preso juntamente com Eduardo numa churrascaria em Arapiraca. A polícia conseguiu inclusive apreender a pistola, calibre 6.35, usada no crime.
“Doutor, eu nasci para matar”, teria dito ele ao delegado, ao ser localizado e preso.

O último envolvido no crime, conhecido por “Bola”, permanece foragido e também teve a prisão decretada. “Quero agradecer o apoio do juiz Ferdinando Neto, do promotor de Quebrangulo, e do coordenador do Gecoc, Alfredo Gaspar de Mendonça, como também dos policiais civis Claudemir Costa Silva, Alailton Correia e Jarlan da Silva Souza, além do diretor da região do Agreste, Flávio Saraiva, para o êxito desse nosso trabalho”, completou o delegado Itamar Uchôa.

Fotos:

Fonte: Assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.