A noite   do são joão de Delmiro Gouveia teve de tudo, a primeira noticia que jogou água em muitos fãs foi a ausência da cantora tão esperada Samira Show. Mas não parou por ai. A banda Forró A2 subiu que subiu ao palco com a missão de substituir a cantora e diga-se de passagem mandou muito bem, teve o show interrompido de maneira truculenta e tumultuada por uma guarnição da PM.

O triste detalhe é que a banda recebeu da organização do evento a determinação para até 4:30 da manhã, vale ressaltar que em muitos eventos as bandas costumam tocar até 5:00 ou…

Anderson de Souza

O fato é que ás 4 horas a guarnição da PM do 9º batalhão pediu a um colaborador para parar de tocar, o colaborador pediu para que falasse com o proprietário da banda e continuou o show. Mais uma vez um policial pediu para que a banda parasse de tocar, o proprietário da banda o radialista Anderson de sousa segundo palavra do mesmo… ” Chamei o tenente para um lugar um pouco afastado do palco e informei que tinha recebido determinação do prefeito para tocar até ás 4:30, ele afirmou que eu estava insistindo, eu disse que estava aguardando a organização do evento para resolvermos a situação”

Não satisfeito com a demora, o tenente afirmou que estava trabalhando desde ás 9 horas e determinou a guarnição que algemassem o proprietário da banda e o conduzisse até a delegacia causando assim truculência e tumulto no palco.

“ Sou cidadão de bem, desabafa Anderson de Souza.” em nenhum momento o desrespeitei, pedi para que não me algemassem, mas fui ignorado, me chamaram de vagabundo, cabra safado e desceram comigo algemado, e me jogaram na parte de trás da viatura, durante  o trajeto até a delegacia tentei conversar mas as palavras ásperas continuavam”

Na delegacia os advogados e o prefeito Valdo Sandes chegaram a tempo de contornar a situação, segundo Valdo ouve excesso por parte da guarnição, a festa deveria terminar ás 4:30 e há determinação da justiça para isso. As informações é de que será movido processo contra o tenente responsável pela operação.

” Eu sai algemado na frente do povo sem motivo, não bati, não desrespeitei, estava fazendo o meu trabalho, estava cumprindo ordens, apenas pedi para que aguardássemos a organização do evento” desabafa  Anderson de Souza.

Para os presentes a polícia agiu de forma tumultuada e truculenta e sem motivos  algemou um cidadão de bem que estava assim como eles no exercício do seu trabalho.

Isso é lamentável…

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.