miniatura (1)
Aderval Nogueira, 41 anos, e Williams Adalberon Ursulino, 19 (Foto: Emerson Lima)

Uma operação da Polícia Civil desarticulou, nesta quinta-feira (29), uma quadrilha acusada de aplicar golpes, inclusive, em autoridades alagoanas, utilizando-se de um plano de vendas da operadora de telefonia TIM.

De acordo com as investigações, o grupo vinha aplicando o golpe há vários meses. Depois de conseguirem nome, CPF e RG das vítimas, eles faziam a compra por meio de telefone, conforme é permitido pelo plano de vendas da operadora telefônica, mas não entregavam o produto negociado.

Eles também mudavam o endereço das vítimas e, com isso, as mercadorias acabavam sendo entregues no novo endereço, fornecido pelo grupo criminoso. Assim, conseguiam lesar os compradores ao receber os aparelhos no lugar dos mesmos. O pagamento dos objetos era cobrado na fatura telefônica das vítimas.

Somente o lote que estava sendo entregue nesta quinta-feira foi avaliado em cerca de R$ 22 mil. De posse dos aparelhos, eles os vendiam a preços abaixo do mercado. Um iPhone, que chega a custar R$ 3 mil, era vendido por até R$ 500.

A prisão, em flagrante, aconteceu no momento em que a quadrilha recebia, numa casa localizada na Rua Joana D’Arc, no Village Campestre II, mais um lote de iPhones, iPads e tablets, comprados de forma fraudulenta. No local, foram presos Aderval Nogueira, 41 anos, e Williams Adalberon Ursulino, 19.

Bando utilizava planos de venda da operadora TIM para efetuar o golpe (Foto: Cortesia/Polícia Civil)

A polícia apurou ainda que os nomes, CPFs e RGs das pessoas lesadas eram recolhidas de lixeiras de agências bancárias ou obtidas em edições do Diário Oficial do Estado.

Entre as vítimas da quadrilha estão desembargadores, deputados, secretários de Estado, procuradores de Estado, gerente dos Correios, integrantes do Ministério Público do Trabalho e professores.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.