A Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão em desfavor de Marcos Elias dos Santos, conhecido por ‘Abobrão’, suspeito de ser um dos autores do homicídio qualificado ocorrido no dia no dia 14 de maio de 2018, no povoado Boa Esperança, zona rural do município de Propriá, que vitimou Maurício Elias da Silva Santos, conhecido por ‘Ponga’.

Segundo o delegado Antônio Wellington, a vítima voltava de uma festa, acompanhado da amante, quando fora interceptado por Marcos Elias e  comparsas. Ponga ainda conseguiu fugir ao sair correndo do carro, mas não o suficiente para escapar. Ao amanhecer, o corpo dele foi encontrado num matagal. A mulher que acompanhava a vítima também foi alvejada na perna.

Após o crime, o carro de Ponga foi retirado do local e entregue à viúva, mas o celular não foi localizado. A viúva foi as redes sociais e comunicou que o celular do marido tinha rastreador e, no dia seguinte, um homem conhecido por Suel lhe devolveu o aparelho, contudo, as conversas do aplicativo whatsapp haviam sido deletadas.

Foto: SSP

O delegado informou que o aparelho fora encaminhado ao Instituto de Criminalística para ser periciado e diversas mensagens foram recuperadas, mostrando o que aconteceu nos dias que antecederam o homicídio.

“Constatou-se que Ponga possuía um entrevero com um rapaz conhecido como Zé Neto, ex-policial militar, expulso da corporação por envolvimento na morte de um promotor de Cedro. Havia registros no aplicativo de ameaças alguns dias antes da execução”, disse o delegado

Zé Neto foi morto cinco dias depois da morte de Ponga e testemunhas relataram que, após os disparos contra Ponga, viram Zé Neto e o filho dele Maxwell Rodrigues Bomfim, vulgo “Suel”, nas imediações. “Acreditando que Suel tenha apagado dolosamente as mensagens do aplicativo de celular antes de devolvê-lo à viúva, a polícia o indiciou, mas não cumpriu a prisão preventiva, pois o mesmo se encontra foragido”, informou o delegado.

De qualquer modo, um terceiro homem, Marcos Elias dos Santos, que estava no local dos eventos, acompanhando Zé Neto e Suel, foi preso e encontra à disposição da Justiça. Informações sobre o paradeiro Maxwell Rodrigues Bomfim, vulgo “Suel”, pode ser repassada para o disque denúncia 181. A ligação é anônima e gratuita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.