Eles foram presos durante festa para comparsa
Eles foram presos durante festa para comparsa

Polícia Civil de Alagoas, por meio da delegacia de homicídios (DH), apresentou nsta segunda-feira (15), na sede da delegacia geral, em Jacarecica, na capital alagoana, Alexandro Soares da Silva, 23, conhecido como “Ti” e Joaz Silvestre dos Santos Silva, 25, apontado como líder da quadrilha, que cometia homicídios em Rio Largo.

De acordo com o delegado Cícero Lima, coordenador da DH, a prisão ocorreu durante uma festa em comemoração à volta de Joaz Silvestre para o Estado. Ele estava foragido, mas mantinha ligações criminosas em Alagoas.

Após a prisão do líder da quadrilha, “Ti” foi reconhecido por policiais civis e preso na porta da DH, quando tentava colher informações sobre a prisão. “Joaz Silvestre é o líder da quadrilha envolvida com tráfico de drogas, homicídios e assaltos. Era ele quem decidia matar. A motivação quase sempre era por razão de dívidas com o tráfico ou por suspeitar que as vítimas fossem delatores”, esclareceu.

Nas investigações policias os acusados são apontados como responsáveis por cerca de 20 homicídios. Somente na Mata do Rolo, de acordo com o delegado Antônio Edson, responsável pelas prisões e investigações, eles são acusados dos assassinatos de Diego Alves; Valter Cícero da Silva; Daniel Vicente Oliveira, Fernando Pedro Ferreira da Silva; Joseane Rocha Santos; Daniel Feliz, “Artuzinho”, Tânia Maria; Tião eletricista; “Nado Gari” e ainda um triplo homicídio, dentre outros.

Antônio Edson esclareceu ainda que Joaz Silvestre tem dois mandados de prisão preventiva, expedidos 3ª vara criminal de Rio Largo. Para ele, com esta a prisão, a quadrilha foi totalmente desarticulada. “Quando fui delegado em Rio Largo, conseguimos prender parte de seu bando: Adriano, “Foguinho”, Tales, Alex e Claudevan, que portavam uma metralhadora com silenciador, mas faltava o líder”, afirmou.

Segundo a equipe de policiais de Messias, Joaz também era envolvido com assaltos, em apenas três ações naquele município, no começo deste mês ele conseguiu levantar cerca de R$ 20 mil. O acusado foi reconhecido, por suas vítimas, por meio de circuito de câmeras, que flagrou o crime.

Durante a coletiva, o delegado-geral, Paulo Cerqueira, ressaltou que mais uma vez a Polícia Civil conseguiu tirar das ruas homicidas. “O empenho das forças policiais consegue mais uma ação de sucesso. A polícia Civil com o apoio da Força Nacional e da Polícia Militar está engajada na diminuição dos números de homicídios. Neste caso, conseguimos prender criminosos, que há aproximadamente quatro anos aterrorizava a comunidade de Rio Largo”, afirmou

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.