Fábio Adriano Mendes Cruz (Pulo Afonso-BA ) - Carlos Wagner dos Santos - Diego da Silva (Foto divulgação Polícia Civil )
Fábio Adriano Mendes Cruz (Pulo Afonso-BA ) – Carlos Wagner dos Santos – Diego da Silva (Foto divulgação Polícia Civil )

O grupo de presidiários autuado pelo delegado regional Rômulo Monteiro, de Batalha, suspeito de planejar o roubo de explosivos de uma pedreira, localizada na região de Pão de Açúcar, no Sertão alagoano, está envolvido em ameaças a autoridades (juízes, promotores, policiais civis e militares) de Sergipe.

Investigações realizadas após a prisão do grupo revelaram também que os três homens presos fariam parte de uma perigosa quadrilha envolvida em muitos crimes, inclusive explosões de caixas eletrônicos em agências bancárias.

A operação que prendeu os três presidiários, foragidos do sistema prisional do Estado de Sergipe, foi desencadeada depois que a polícia alagoana recebeu informações de que uma quadrilha tencionar roubar os explosivos.

Carlos Wagner dos Santos, Fábio Adriano Mendes Cruz e Diego da Silva, conhecido por “Dentinho”, foram detidos após uma balsa que já se deslocava para território sergipano ser interceptada.

Segundo foi apurado, Carlos Wagner recebeu um indulto para passar o aniversário de sua esposa junto com ela, mas se encontrava na região de Pão de Açúcar; Fábio Adriano atualmente se encontra cumprindo pena no regime aberto, mas não apresentou o salvo conduto que lhe permitiria transitar fora do Estado de Sergipe, nem soube explicar o que estaria fazendo na região acompanhado de outros dois detentos.

Já Diego Silva, apontado também como possível líder de uma quadrilha que vem roubando motocicletas na região, se apresentou com uma cédula de identidade falsa, com o nome de Rafael Cardoso de Lima, pois é foragido do Presídio Senador Leite Neto desde o mês de julho do ano passado. Carlos Wagner é igualmente citado como envolvido no ataque às motos.

A polícia foi informada de que Daniel chegou a ser resgatado, em uma ação de comparsas, da delegacia da cidade de Glória (Sergipe). Outros dois homens, que seriam as pessoas que estavam de posse das armas e dos explosivos pertencentes à quadrilha que foram levados de uma pedreira de Sergipe, conseguiram escapar da perseguição policial, que se estendeu durante toda a noite de quinta e início da madrugada desta sexta-feira.

Os três homens presos foram conduzidos até a cidade de Batalha, onde o delegado regional Rômulo da Silva Monteiro, autuou em flagrante Diego da Silva por uso de documento falso e os outros dois foram detidos por terem quebrado o Termo de Liberdade Provisória.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.