Sueli Cardoso e Manoel Tabora são pais de oito filhos e esperavam a chegada de um casal de gêmeos. A empregada doméstica, de 34 anos, estava gravida de gêmeos quando foi internada no Hospital Menino Jesus, no distrito de Itaipava, na região Sul do Espírito Santo.

O parto foi prematuro e o primeiro bebê, um menino, nasceu, mas acabou morrendo após dez minutos. Para tentar salvar o segundo bebê, uma menina, a empregada doméstica foi encaminhada para o Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim, também na região Sul do Estado. A menina foi retirada já sem vida da barriga da mãe.

Se já não bastasse o sofrimento dos pais com a perda dos dois filhos, o pai das crianças, o lavrador Manoel Tabora, de 34 anos, foi surpreendido com uma orientação no mínimo estranha, na hora em que foi buscar o corpo do filho, no Hospital Menino Jesus, em Itaipava. Ele alega que um funcionário o orientou a manter o bebê na geladeira até a hora do sepultamento. Sem qualquer justificativa por parte do hospital, mas com receio de descumprir a orientação, Manoel colocou o corpo do menino na geladeira da casa da família, mesmo achando o fato muito esquisito.

O Hospital Evangélico, que administra o Hospital Menino Jesus, informou que na segunda-feira(15) abriu um processo para investigar o que aconteceu e tomar as medidas cabíveis administrativamente. Uma comissão, formada por um médico, um enfermeiro, um membro do setor administrativo e um técnico de enfermagem tem prazo de 10 dias para concluir a investigação. O hospital afirma ainda que irá ouvir todas as partes envolvidas, inclusive o pai da criança.

 

Por HS 24 horas

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.