O capitão da Polícia Militar, Anativo Manuel da Conceição Neto, 33 anos, foi assassinado na noite desta segunda-feira (20), na localidade Baixinha de Santo Antônio, no Cabula em Salvador.

O militar é ex-marido da cantora Nara Costa. Ele foi morto com um tiro na cabeça e foi encontrado com uma pistola ponto 40 de propriedade da PM, debaixo do corpo, o que leva a entender, que Anativo tentou sacar a arma para se defender.

foto-capitãoSegundo o delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), Antonio Cláudio Oliveira, o oficial da PM estava lavando o carro, um veículo modelo Sandero de cor preta, na Rua Tenente Walmir Alcântara, na localidade de Baixinha de Santo Antônio no Cabula, quando foi surpreendido pelos assassinos que atiraram no policial percebendo a reação do mesmo.

“Não podemos afirmar isso, quem vai dizer é o resultado da perícia, mas possivelmente o autor do disparo percebeu o eminente revide do policial e atirou acertando a cabeça dele e logo em seguida fugiu a pé sem subtrair nada da vítima. A hipótese até o momento é de uma tentativa de latrocínio”, afirma o delegado.

O capitão que morava no bairro de Canabrava, estava há 14 anos na corporação. Foi subcomandante da 19ª CIPM, foi chefe do serviço de inteligência da 35ª CIPM e estava há um ano e meio como subcomandante da 2ª Companhia Independente da Polícia Militar da Amaralina.

Além de equipes da DHPP, Policiais da Rondesp que foi a primeira guarnição a chegar no local do crime, policiais do serviço de inteligência da PM e do comando regional estiveram no local acompanhando o trabalho da perícia e a remoção do corpo do capitão.

Um dos oficiais da Coordenação de Investigação e ex-colega de turma do Capitão Anativo Manuel, que não quis se identificar, conversou com a reportagem do Bocão News. Ele descreveu o perfil do oficial assassinado e em seguida fez um desabafo. “Ele foi da minha turma, antes de ser policial era da escola da Polícia Militar, era um homem tranquilo, excelente profissional, já realizou inúmeras prisões significativas. O que nos deixa decepcionados como policiais e cidadãos é a diferença dada pelo Ministério Público entre morte de bandidos e morte de policiais.

Quando se trata da morte de meliante em combate com a polícia, há uma cobrança mais incisiva por parte do MP, mas quando é um policial que tem sua vida ceifada por um criminoso a atenção não é a mesma”, desabafa o oficial, que ainda levantou outro tema polêmico. “Se o autor desse crime for um menor infelizmente em três meses ele estará nas ruas para repetir a mesma coisa e nós não podemos fazer nada, ficamos reféns desse código penal”, afirma.

A mãe e outros familiares estiveram no local e muito abalados foram amparados pelos policiais e colegas de Anativo. Eles não quiseram falar com imprensa. O caso está sendo investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

 

 

 

Por: Hs 24 horas / com Bocão news

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.