Direção nacional dos correios ofereceu reajuste de 8%
Direção nacional dos correios ofereceu reajuste de 8%

Nesta quinta-feira (26), em mais um esforço para encerrar a paralisação parcial, as Diretorias Regionais dos Correios estão realizando contatos com os sindicatos que ainda não assinaram o acordo coletivo de trabalho — que já foi aceito pelos sindicatos de São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru/SP, Rio Grande do Norte e Rondônia. Os trabalhadores que fazem parte da base dos sindicatos que já assinaram ou assinarem até hoje irão receber na próxima semana (3/10) as diferenças do reajuste de 8% referentes aos meses de agosto e setembro.

O acordo, já protocolado pela empresa junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) com pedido de extensão aos demais sindicatos, garante reajuste de 8% nos salários (cobertura da inflação do período, de 6,27%, e ganho real de mais de 1,7%) e de 6,27% nos benefícios, além de tratar de todas as cláusulas — como, por exemplo, a alteração da ausência remunerada de 5 dias ou 10 turnos para 6 dias ou 12 turnos de trabalho por ano.

Pesquisa realizada pela ECT com 24 mil trabalhadores na terça-feira (24) mostrou que 75% dos ouvidos aprovam a proposta feita pela empresa, que alcança o limite da capacidade financeira dos Correios.

Números
Nesta quinta-feira (26), 92,83% dos empregados (115.550) estão trabalhando normalmente. Entre os empregados da área operacional (carteiros, atendentes e operadores de triagem e transbordo), o índice de trabalhadores presentes é de 91,51%. O número é apurado por meio de sistema eletrônico de presença. Em São Paulo, Rio de Janeiro, Bauru/SP, Rio Grande do Norte e Rondônia não há paralisação.

A rede de atendimento está aberta em todo Brasil e todos os serviços, inclusive o SEDEX e o Banco Postal, estão disponíveis – com exceção da postagem, entrega e coleta de encomendas com hora marcada nos locais com paralisação deflagrada. A maior parte dos serviços de hora marcada foi restabelecida em Mato Grosso do Sul e no Espírito Santo (para postagem e entrega dentro do próprio Estado).

Dados adicionais
* A empresa empreendeu todos os esforços junto à Fentect para fechar o acordo, mas neste momento não ocorre negociação. A federação recusou-se a dialogar durante a audiência de conciliação no TST e preferiu deflagrar paralisação parcial, levando ao dissídio. Os Correios aguardam a definição da data do julgamento — o que não impede, porém, que outros sindicatos aceitem a proposta oferecida pela empresa e assinem o acordo.

* A proposta dos Correios: reajuste de 8% nos salários (reposição da inflação do período, de 6,27%, com ganho real de mais de 1,7%) e de 6,27% nos benefícios; vale-extra no valor de R$ 650,65, a ser creditado em dezembro e Vale-Cultura dentro das regras de adesão ao Programa implementado pelo Governo Federal.
* Plano de saúde: os Correios já asseguraram que todos os atuais direitos dos trabalhadores estão garantidos – manutenção dos atuais beneficiários (inclusive pais do empregado que já estão cadastrados), cobertura de procedimentos, rede credenciada e percentual de compartilhamento. Não haverá nenhum custo adicional, repasse ou mensalidade aos empregados.

* Entrega matutina: a ECT já assumiu o compromisso de ampliar a entrega matutina, hoje realizada em três Estados.
* Contratações: mais de 19 mil novos trabalhadores foram contratados do concurso público de 2011. A ECT continua contratando normalmente, pois ainda há cadastro de aprovados na maior parte do Brasil, com validade até 2014, e já trabalha na realização do próximo concurso.
HS 24 horas -De olho na notícia / com 7 segundos
Fonte: Assessoria

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.