Crime chocou a comunidade do bairro onde o comerciante foi assassinado (Fotos: Portal Infonet)

Um comerciante foi morto a tiros dentro do próprio estabelecimento comercial, instalado entre o Jardim Centenário e o conjunto Bugio, em Aracaju. O assassinato foi registrado pela Polícia Militar de Sergipe por volta das 10h30 desta quarta-feira, 8, na rua João de Deus Oliveira. Os atiradores se aproximaram da casa comercial em um veículo preto e, depois dos disparos, fugiram. Até o momento não há informações sobre a autoria do crime.

De acordo com a família, Wagner Luiz dos Santos, 32, conhecido como Ship, estava inaugurando uma casa comercial destinada a venda de artigos variados. Alguns produtos já estavam nas prateleiras expostos para comercialização. “Ele já estava comprando as coisas para ver o que seria melhor para vender”, disse o pai da vítima, que não se identificou para a equipe de reportagem do Portal Infonet.

O pai ouviu os estampidos dos tiros, mas não conseguiu visualizar detalhes dos assassinos. Ele disse que sempre o orientava para que o filho tivesse cuidado com as pessoas com quais ele se envolvia. “Eu sempre dizia a ele para ter cuidado para não andar com pessoas do mau caminho”, comentou, entristecido.

O crime chocou os moradores daquele trecho da rua João de Deus Oliveira e ninguém compreendeu o motivo. A lei do silêncio prevalece no local. Ninguém quer se identificar, mas muitas pessoas que estavam no local no momento em que a equipe do Instituto Médico Legal (IML) se preparava para fazer a remoção do corpo comentaram que Ship seria integrante de uma torcida organizada em apoio ao Club Sportivo Sergipe.

Uma senhora, que preferiu não ser identificada, confirmou essa versão e disse que tem um filho que quase foi morto por torcida rival. “Não presta, não. Quase perdi meu filho por causa dessas torcidas. Ele ficou 22 dias embaixo de uma cama sem querer sair nem falar com ninguém”, narrou. “Um dia, ele se bateu com um rival da torcida e saiu correndo, tropeçando e o outro lá atirando atrás dele”, conta. “Hoje, quem fez isso com ele já morreu. Eram três. O último morreu no presídio e hoje meu filho serve para Deus, se casou e a mulher está grávida. Somos todos evangélicos”, conta.

No entanto, os familiares de Vagner Luiz não compreendem a motivação que levou os atiradores a matá-lo. “Não sei dizer o que aconteceu. Ele nunca falou nada pra mim, nunca disse que vinha sendo ameaçado”, ressaltou o pai.

Investigação

A assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) informou que o crime já começou a ser investigado pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). Há informações que os suspeitos teriam utilizado um Voyage de cor preta e que eles teriam descido do carro já atirando contra o comerciante, que morreu no local.

Apesar dos comentários da população indicar que havia três homens no carro preto, a SSP ainda não identificou a quantidade de pessoas envolvidas na execução do crime. A população pode contribuir para elucidar esse e outros crimes. Basta enviar informações para o Disque Denúncia da SSP, telefonando para o número 181. A ligação é gratuita e a identificação do colaborador será mantida em sigilo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.