José Celestino e Luzia Quitéria
José Celestino e Luzia Quitéria

Na manhã desta sexta-feira (26/04) a cidade de Petrolândia testemunhou uma tragédia que abalou a população.
Aconteceu no Bairro Boa Esperança (Sem Teto), JOSÉ CELESTINO DE SOUZA, com 61 anos de idade, natural da cidade de Lagarto, SE, matou à facadas a sua própria esposa LUZIA QUITÉRIA DOS SANTOS, que tinha 31 anos de idade, natural da cidade de Inajá, PE e era mãe de mais de sete filhos e depois se matou com profundo corte no pesçoco.

Depois de cometer o assassinato, José Celestino fugiu para dentro da caatinga sem deixar pistas.
Policiais Militares da 4ª CIPM/Petrolândia, a fim de capturar o fugitivo, fizeram diligências pela zona rural do Município, seguindo a direção que ele tinha tomado, sendo o mesmo encontrado na localidade conhecida por “Mata Cabra”, debaixo de um pé de “imburana”, caído emborcado por cima de uma poça de sangue e ao lado do seu corpo estava uma faca peixeira, possivelmente a mesma que tirou a vida de sua esposa e a sua própria vida, cometendo suicídio.
Segundo informações de terceiros, “Zé Garrafeiro”, como era popularmente conhecido, já tinha sido preso várias vezes por motivos de brigas com a sua mulher (ciumes), inclusive fazia poucos dias que ele estava solto de um período de três meses na cadeia. Estava incurso na “Lei Maria da Penha” e havia determinação para ele não se aproximar da sua esposa.
Populares disseram que, no inicio da década de 80, “Zé Garrafeiro”, portando um facão, correu atrás do ex-prefeito de Petrolândia, saudoso José Araújo (Zé de Caboclo), naquela época o criminoso teria sido baleado e socorrido entre a vida e a morte para Hospital na cidade de Paulo Afonso.
Em respeito aos leitores e familiares das vítimas, decidimos não publicar fotos dos corpos sem vida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.