Jovens de Petrolândia-PE são presos por fraude em concurso da PM do Piauí

0
151

suspeita_abordada__

Uma reunião na Secretaria de Segurança na manhã desta segunda-feira(02) decidiu pela anulação do concurso da Polícia Militar realizado ontem(01) para 430 vagas de soldados e oficiais, após as tentativas de fraudes flagradas pelas polícias de Teresina e Picos, na operação Certame, durante as provas.
Estavam presentes o secretário Robert Rios, o subcomandante da Polícia Militar, coronel Sidney, o secretário de Administração, Paulo Ivan, além do corregedor da PM, coronel Marcos David, o delegado geral James Guerra e o coordenador do Grupo de Repressão Contra o Crime Organizado (Greco), delegado Menandro Pedro.
Em Teresina foram presos pelos policiais civis da Greco quatro candidatos acusados de pagar para receber o gabarito e policiais militares. A princípio eles deram cerca de R$ 2 mil. O restante seria dado após a aprovação. O valor total poderia chegar a R$ 10 mil de acordo com o delegado Menandro Pedro.
O tenente Elivaldo, técnico do time de futebol feminino do Tiradentes, ainda continua preso e teria confessado o crime para ajudar seu filho a passar.
Já no município de Picos, foram presos três pernambucanos  que foram descobertos após fiscais desconfiarem da demora de um dos candidatos em responder a prova. Durante a prisão, um dos suspeitos foi flagrado com um celular escondido nas partes íntimas.
Em depoimento para a delegada Tatiana Trigueiro, os suspeitos  confessaram a tentativa de fraude e revelaram que pagaram, antecipadamente, R$ 300. “O trio confessou que se o esquema desse certo e fossem aprovados pagariam R$ 6 mil em duas vezes”, finalizada a Delegada da Mulher Picos.
Nucepe
O presidente do Nucepe, Jorge Martins Filho, informou que ainda não foi notificado sobre a anulação e que só irá se pronunciar quando for comunicado oficialmente.
Portal – HS24 horas -De olho na notícia.
PRISÕES EM PICOS
Em Picos, três homens foram presos acusados de fraudar concurso da Polícia Militar do Piauí. Os suspeitos são do município Petrolândia, Pernambuco, e foram descobertos após fiscais desconfiarem da demora de um dos candidatos em responder a prova, até o momento do fechamento da matéria não foram divulgados os nomes dos envolvidos. Durante a prisão, um dos suspeitos foi flagrado com um celular escondido nas partes íntimas.
A delegada plantonista de Picos, Tatiana Trigueiro, conta que as prisões ocorreram na Unidade Escolar Desembargador Vidal de Freitas.
“Os três faziam provas em locais diferentes. O que estava no Vidal de Freitas foi preso na saída da escola e entregou os outros dois. Até momento, não há nenhuma ligação deste caso com a quadrilha que foi presa em Teresina. O trio é de Pernambuco e veio de lá só para tentar fraudar o concurso”, explica Trigueiro.
A delegada explica ainda que a polícia vai investigar quem seria o responsável por repassar o gabarito aos candidatos. Informações preliminares apontam que o suspeito seria um homem, também de Pernambuco, e que agia do Estado vizinho.
O esquema funcionava através de códigos, estabelecidos de acordo com toques aos celulares dos suspeitos. “Os três estavam com celulares iguais e para saber qual a resposta correta se baseavam em toques de celular. Se vibrasse uma vez, a resposta seria letra A, duas letra B e assim por diante”, reitera Tatiana Trigueiro.
Em depoimento, os suspeitos teriam confessado a tentativa de fraude e revelado que pagaram, antecipadamente, R$ 300. “O trio confessou que se o esquema desse certo e fossem aprovados pagariam R$ 6 mil em duas vezes”, finalizada a Delegada da Mulher Picos.
O certame visa o provimento de 430 vagas na PM-PI. Os cargos disponíveis são para soldado e oficial da corporação, cujas remunerações iniciais são de R$ 2.047,63 e R$ 3.897,04, respectivamente, de acordo com edital.
A seleção é organizada pelo Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). A primeira etapa, de aplicação de provas objetivas de múltipla escolha, ocorreu das 9h às 13h deste domingo (01).

Veja o vídeo:

 

SOBRE A OPERAÇÃO CERTAME

O policial militar preso tentando fraudar o Concurso da Polícia Militar do Piauí, é o tenente Elivaldo Moraes dos Santos, que também é técnico do time feminino do Tiradentes. Ele foi flagrado no momento em que recebia de uma candidata as repostas da prova realizada neste domingo (1º/11), para repassar a outros candidatos.

Momento em que o PM suspeito recebe os gabaritos que serão repassados aos candidatos

Momento em que o PM suspeito recebe os gabaritos que serão repassados aos candidatos

Até a tarde de ontem, ele e mais quatro pessoas tinham sido presas, mas no final da noite, foi confirmada a prisão de outro 13 candidatos que também tentavam fraudar o concurso. Dentre as prisões realizadas, sete foram na cidade de Picos.

Policial e candidata se encontram para a troca dos gabaritos

Policial e candidata se encontram para a troca dos gabaritos

Tudo começou, segundo o corregedor, com a informação que veio do Estado do Pernambuco, dando conta de que um grupo estava na intenção de fraudar um concurso no Piauí. A investigação do Grego acabou descobrindo este grupo, que iria agir durante a aplicação das provas do Concurso da Polícia Militar do Piauí, que foi realizado neste domingo em Teresina e em outras cidades do interior do Estado.

Publicado Por: Apoliana Oliveira

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here